top of page

5 PASSOS PARA SUPERAR O MEDO


Rodrigo Ferretti



Você sabia que o medo pode estar mascarado e presente na sua vida de diversas maneiras e que você nunca imaginou?


Pense na sua vida e me diga:


Você já limitou as suas escolhas por causa do medo?

Você sabe de onde realmente vem o medo?


E afinal, é possível mudar isso?


Entenda o que é o medo e como você pode superá-lo para se tornar uma pessoa mais forte.

PARA ENTENDER O MEDO



Vamos pensar em uma referência prática pra entender melhor como o medo funciona.

O medo é como alguém que toma de uma lanterna em uma noite escura na floresta. Para onde aponta o foco, aquilo se destaca e cresce.

A atenção da pessoa fica voltada para aquilo que lhe chamou a atenção e muitas vezes isso tende a tomar uma outra proporção, muito maior.



UMA PERGUNTA SOBRE O MEDO

Mas afinal, sentir medo é normal?

O medo é uma emoção que todo mundo sente em momentos apropriados e específicos.

Ter medo é normal e essa emoção vai fazer com que nessas situações, a pessoa busque ter mais prudência e tenha mais ponderação. Então o medo faz com que a pessoa se prepare mais para a enfrentar o que está por vir.

Então se a pessoa vai fazer uma entrevista de emprego, ou uma prova. O medo vai fazer a pessoa estudar mais, treinar e se preparar melhor para que tudo dê certo, conforme o esperado.




Então, saiba de uma coisa:


Ter medo é normal, mas superar o medo é saudável.

MAS ENTÃO, QUANDO QUE O MEDO NÃO É NORMAL?

O problema surge quando foge do controle, quando causa ansiedade, sudorese, arritmia cardíaca, insônia, quando paralisa a vida, aí não está normal.

UMA CURIOSIDADE IMPORTANTE:

NUNCA SENTIR MEDO PODE SIGNIFICAR UM ADOECIMENTO

No cérebro nós temos uma estrutura chamada amigdala.

E URBACH WIETHE, é o nome de uma doença onde a amígdala da pessoa está desligada.

Vamos lembrar que a amígdala é uma das estruturas que fazem parte do sistema neural do medo.

Aí a pessoa com Urbach Wiethe não sente medo em nenhuma situação, mesmo que sua vida esteja literalmente sendo ameaçada.

VOCÊ SABIA QUE EXISTEM FATORES INTERNOS E EXTERNOS ASSOCIADOS AO MEDO?

FATORES INTERNOS LIGADOS AO MEDO

São os da própria pessoa.

Vamos encontrar os sentimentos de culpa que podem estar conscientes ou inconscientes e que a pessoa ainda não se libertou deles. Então essa culpa pode despertar o medo de que algo de ruim pode acontecer. E aí a pessoa passa a ter medo, porque espera o pior.

É que toda culpa pede uma punição. E aí carregar um sentimento de culpa é esperar que algo de ruim aconteça.

FATORES EXTERNOS LIGADOS AO MEDO

Vieram de fora, de outras pessoas e foram incorporados através de situações que ficaram marcadas como algum tipo de registro traumático no psiquismo.

Os fatores externos podem surgir de algumas possibilidades:

1) A educação que a pessoa recebeu. Então, pais e mães, muito agressivos ou mesmo negligentes geraram traumas na criança e isso refletiu ao longo da vida, como medos de enfrentar as adversidades da vida.

Essas são aquelas situações de agressões, ameaças, desrespeitos, abusos, etc.

2) O adulto querer obediência da criança através do medo.

Se você não me obedecer, vou te deixar pra lá. Ou criança que não obedece o bicho pega.

3) Entreter a criança de forma inadequada.

Quando adultos ou educadores contam histórias de um jeito que atemoriza a criança. Histórias de bruxas, lobisomens, homem do saco, etc.

E aí, a criança lida com as informações de um modo muito concreto. Mesmo que com o objetivo de entreter a criança, essas histórias podem deixar marcas que ficam no inconsciente e que podem até ser levadas para a vida adulta.

O MEDO MASCARADO E NÃO ADMITIDO PODE AFETAR A VIDA DE UMA PESSOA, LIMITANDO O SEU CRESCIMENTO E AS SUAS EXPERIÊNCIAS

Muitas vezes a pessoa que tem medo, sem que saiba muitas vezes diante de uma proposta até interessante, que poderia lhe trazer crescimento ou benefícios, diz que tem preguiça ou que não tem energia, ou mesmo não está afim. Mas muitas vezes, no fundo, o que pode existir é o medo. Medo que deixa a pessoa paralisada.

Nessas situações, claro! A autoestima fica lá embaixo. A pessoa se compara com os outros que estão muito bem e sempre se sente pior e aí, muitas vezes se isola do convívio social, limitando ainda mais as suas possibilidades ou então, pode até buscar mecanismos de fuga da realidade que pra ela é difícil e se anestesiar, com o uso de álcool, drogas, games em excesso, séries que tomam muitas e muitas horas.

EXISTEM ALGUNS MEDOS QUE SÃO MAIS COMUNS DO QUE PARECEM

Vamos lá!

MEDO DE SE RELACIONAR.

Muitas vezes a pessoa até fala racionalmente que quer um relacionamento.

Mas o medo de sofrer faz com que a pessoa ou fuja de relacionamentos, ou então, busque relacionamentos imperfeitos, que não darão certo, para confirmarem suas crenças sobre isso.

O MEDO DE NÃO AGRADAR.

Esse medo mostra muitas vezes um sentimento de inferioridade. Onde a pessoa faz de tudo para ser legal e agradar o outro. É alguém sempre muito solícita e gentil, mas muitas vezes a pessoa quando está sozinha, se sente vazia por dentro. É porque muitas vezes estava representando um papel e aí, cada vez mais, se distanciando de si mesma.

EXISTE O MEDO DE SI MESMO.

O pouco conhecimento que tem de si mesmo somados aos impulsos reprimidos no seu inconsciente, fazem com que a pessoa tenha muito medo de se conhecer.

Esse é o medo do autoconhecimento!

A pessoa pensa assim. Se eu sem me conhecer, já vejo que não sou lá grandes coisas. Imagina se eu me conhecer e descobrir que ainda sou pior do que eu imaginava!

Esse é o lado sombra, inconsciente negado e reprimido que a pessoa não aceita e não admite. E aí, com isso, não se trabalha e nem cresce emocionalmente.

EXISTE O MEDO DE DAR CERTO.

Nesse caso a pessoa se autossabota. Há o medo das responsabilidades aumentadas. E muitas vezes prefere ficar como uma vítima da situação. É que esse é um papel de comodismo em que a pessoa prefere do que se responsabilizar pela própria vida e pelo próprio crescimento.

O QUE QUE VOCÊ PODE FAZER PARA SUPERAR O MEDO?

Vou te dar 5 soluções pra você curar o seu medo.

Mas antes vai um aviso: é bom saber que se o medo for muito grave, gerando os sintomas orgânicos de desconforto como ansiedade, sudorese, insônia, taquicardia. É muito importante buscar a ajuda de um psicólogo e muitas vezes até de um profissional médico.

1) ENFRENTE O MEDO.

Enfrentar o medo é olhar para ele. É ter a coragem de admitir, de conhecer e com isso enfrentar o que está causando medo.

Ao enfrentar, é possível redimensionar do tamanho real.

Quando se foge do medo, ele mexe muito com o imaginário. E o imaginário pode fazer com que o medo se transforme em um monstro gigante. Então enfrente o medo. Na medida que você enfrenta o medo, você se fortalece e o objeto do medo tende a diminuir para uma proporção mais real.

2) EXERCITE A CORAGEM.

Sim, a coragem! A coragem é exatamente para os momentos de medo. Porque a coragem é enfrentar a situação apesar do medo que se sente.

3) TRABALHE A SUA AUTOESTIMA.

A autoestima é o sistema imunológico do seu psiquismo. E é um dos pilares da autoestima que é o de se sentir capaz de lidar com as experiências da vida. Faça coisas que melhorem a nota que você dá pra si mesmo. A autoestima está ligada a isso.

Então, cuide da sua autoestima.

Depois estaremos falando em um vídeo só sobre autoestima que pode ajudar bastante.

4) MANTENHA A SUA CONSCIÊNCIA TRANQUILA.

Não se permita carregar culpas. A consciência tranquila faz com que se espere o melhor da vida. Então para isso, faça a coisa certa para se sentir merecedor do melhor!

Seja solidário, experimente fazer atividades voluntárias.

E a quinta!

5) TRABALHE O AUTOAMOR.

Autoamor não é egoísmo, é bem diferente!

Porque o autoamor é uma proposta de crescimento, de desenvolvimento, de buscar o melhor para si. Com isso você estará dizendo ao seu inconsciente o quanto você tem cultivado o que realmente te faz bem e ele vai corresponder!

Comments


bottom of page