O QUE O COVID-19 FEZ COM VOCÊ?


Nesse período de reclusão você tem sentido medo, solidão, frustração, desânimo, ansiedade ou desesperança?

Se você está se sentindo assim ou conhece alguém que está, fica comigo que eu quero conversar duas coisas com você ligadas ao confinamento por causa do coronavírus e que podem fazer total diferença neste período.

O primeiro ponto é sobre os efeitos do confinamento na saúde mental das pessoas e o outro é o que você pode fazer pra lidar melhor com essa situação e ficar bem.

Hoje nós estamos vivendo um momento muito diferente na história humana e que é um desafio para todo mundo.

É que esse é literalmente um desafio novo. Nunca havíamos passado por uma situação semelhante que envolvesse ao mesmo tempo toda a coletividade humana.

O COVID 19, que é um vírus, causou a necessidade de medidas drásticas de isolamento das pessoas para não aumentar a contaminação num primeiro momento.

Um ser invisível criou a necessidade de ficar em casa, de mudar a rotina, de trabalhar home office ou de não trabalhar, que deixou os filhos sem aula, fechou o comércio e que fez surgir dúvidas e incertezas.

O fato é que ficar em confinamento, faz com que as pessoas se tornem mais introspectivas. Ou seja, as pessoas olham mais para dentro de si mesmas e com isso, percebem mais nitidamente o que está no seu psiquismo, e muitas vezes, o que não está bem resolvido vem à tona.

Por isso para quem estiver aberto a aproveitar esse momento, esta é uma grande oportunidade. É uma oportunidade de mudança para melhor e você vai entender.

A quarentena gera o isolamento e com isso, depois de poucas semanas algumas pessoas já tem sentido os efeitos na sua saúde mental.

Quem anteriormente, já havia realizado conquistas de estabilidade emocional, vai conseguir lidar de modo mais tranquilo com esse período. Mas quem ainda não cuidou do seu emocional ou que já trazia determinadas predisposições mórbidas ou mesmo outros adoecimentos como depressão, ansiedade, dificuldades nas relações familiares, essas situações tendem a aumentar e com isso, mais desconforto.

Um estudo que foi recentemente publicado na Revista Britânica Lancet, os pesquisadores estudaram sobre o efeito do coronavírus na saúde mental em relação ao confinamento.

E reportaram que dois sentimentos tem surgido comuns em muitas pessoas.

O MEDO E A SOLIDÃO

Aí podemos analisar que há o medo de adoecer, o medo por ser uma situação nova e as pessoas ainda não saberem exatamente como lidar com isso e como as coisas ficarão. O medo de possíveis perdas financeiras e mesmo sabendo que isso tem tempo para acabar, as pessoas ainda não sabem como ficarão as coisas depois.

E a solidão, que pode aparecer por estar em casa só ou por se sentir só mesmo a pessoa estando acompanhada.

Quando a solidão surge em alguém que convive com outra pessoa, é porque geralmente não há um entendimento, uma conexão mais profunda com o outro.

Vamos lembrar que o ser humano é um ser social. Necessita conversar, conviver, e relacionar com outras pessoas. Mas a qualidade desse contato social é que faz a diferença. Se o contato com o outro for mais profundo, ou se a pessoa estiver bem consigo mesma não há solidão.

MUDANÇAS E CONSEQUÊNCIAS

Mas o confinamento também gera uma mudança de rotina e que não foi escolhida e

isso é uma coisa que gera estresse em muitas pessoas. Para outros gera confusão nos pensamentos, sobrecarga emocional, raiva, irritação, ansiedade, tédio, frustração, falta de motivação, aumento de ingestão de alcóolicos e de drogas para tentar se anestesiar ou fugir dessa experiência. O que só vai piorar as coisas.

Vai aí um aviso importante: Se você estiver se sentindo deprimido, irritado, sem esperança, muito ansioso ou estressado não fique assim. Se permita buscar ajuda, porque a sua vida e a sua saúde emocional valem mais que qualquer coisa.

O PRINCIPAL RECURSO

O principal recurso que você pode contar é você estar bem!

Pra qualquer desafio da vida é a sua saúde emocional, que vai fazer a diferença!

Por isso, é tão importante conseguir manter a tranquilidade, os pensamentos serenos e o raciocínio claro, para que se tenha a condição de superar qualquer desafio.

Portanto, não ignore isso, cuide do seu emocional.

A forma como se encara as situações vai influenciar diretamente no resultado que se terá.

UMA VISÃO DIFERENTE

Então, ao refletir sobre esse momento, tenha calma e procure ver como um período diferente e não necessariamente negativo.

Esse período que pode trazer muitas oportunidades e que se forem bem aproveitadas, podem fazer você se tornar uma pessoa muito melhor com reflexos positivos em toda sua vida.

O QUE FAZER

Então, o que é possível fazer nesse momento?

A primeira coisa importante é: lembre-se de que o desespero em nada vai ajudar. Em nada!

Coloque-se na posição de quem escolhe. Isso vai te fortalecer.

Então, escolha aceitar que isso está acontecendo, para facilitar a sua adaptação a esse momento.

Para organizar o seu psiquismo, mantenha a sua rotina de horários, mesmo que adaptados e mais flexíveis para este momento.

Filtre e muito as informações que chegam sobre o tema. A maioria vem repleta de uma carga que vai pesar ao ser repetida continuamente e na maioria das vezes, sem acrescentar nada em termos de valor e ainda mais, muitas não são sequer verdadeiras.

Então, foque no que você pode fazer e não no que não pode fazer. Não gaste energia com lamentações. Porque lamentar não vai mudar em nada a situação.

Faça coisas que sejam prazerosas pra você. Durma um pouco mais, leia um bom livro, assista a um filme mais leve ou uma série.


Aproveite para conversar com as pessoas que estão mais próximas. Fale pra elas dos seus sentimentos e ouça o que elas tem a dizer também. Faça planos juntos, converse sobre os projetos futuros.

Se você tem filhos, se aproxime mais deles. Brinque mais, converse mais, melhore a

qualidade do contato. Fale deste momento com esperança e tranquilidade, para passar segurança e tranquilidade pra eles.

CRESÇA MAIS

E para o seu crescimento como pessoa, essa é uma oportunidade muito especial pra você se conhecer. Então aproveite este momento para trabalhar e gerir a qualidade dos seus pensamentos e dos seus sentimentos.

Cuide de você! Como? Cuidando do seu emocional, porque assim você estará

preservando o que vai te dar condição de superar esses desafios e sair muito melhor desta experiência.

Se quiser compartilhar, me conta como você está se sentindo com tudo isso.